Ela e sua Mela – a história de uma valente e sua bike

Spread the love

Rodar o mundo é conhecer, é aprender, é descobrir, é viver para contar e contar para viver. E sempre existem pessoas que cruzam nosso caminho e nos enche de encantamento pela simples presença de luz porém, a cada conto, o significado de tal encontro inusitado se faz mais claro.

Um churrasco entre amigos brasileiros na praia me possibilitou conhecer a dona da Mela, uma bike super simpática que carregava em sua cesta uma garrafa de vinho e alguns petiscos malteses. Com um sorriso aberto, essa engenheira paulistana chegou e me surpreendeu de imediato ao dizer que estudou psicanálise.

Mela 1

Denise é dessas mulheres desbravadoras e como eu, deixou para trás uma carreira e uma vida confortável, para voar rumo ao desconhecido e começar de novo em um lugar onde ninguém te conhece e que portanto não há históricos para pré julgamentos.

Denise e sua Mela estavam sempre juntas pelas ruas de Malta, pois pedalar é um dos seus maiores prazeres. Mas a ilha estava pequena para ela, então resolveu pedalar um pouco mais adiante e fazer um Bike Tour Europeu.

Em questão de minutos, elegeu entre as inúmeras opções de rota, o trecho Praga-Dresden, seguindo o rio Elba. À Denise cabia apenas o espírito aventureiro e a disposição para pedalar, o restante a agência se encarregava (programas para os ciclistas, guias que acompanhavam os bike lovers pelo caminho, distribuição de água, frutas e barras de cereais, calibragem e lavagem das bicicletas e transporte das bagagens).

Ciclistas e equipe no primeiro Tour

E lá foi ela e sua bicicleta, junto com mais alguns amantes do pedal em busca de aventura, paisagens deslumbrantes e novas experiências e foi isso que encontrou, além de um festival de vinho em Melnik, árvores frutíferas e um dia perfeito como presente de aniversário.

Isso era muito pouco para alguém que se acostumou com a liberdade e já não se acomodava com rotinas. Voar, ou melhor, pedalar é o seu momento de contato interno, de reflexão e de carga de energias. Assim, começou uma nova trilha.

Em maio, deixou mais uma vez um emprego, um apartamento e a Mela (1) para trás e desta vez sozinha, foi pedalar por aí. Sim, sozinha! Guerreira ou não?! Mas claro que com planejamento e muita responsabilidade.

Se preparou para estar livre por 685 Km. de ciclovia francesa. Denise fez curso de mecânica de bicicletas, calculou cada trecho para chegar em cidades em que pudesse se alojar dignamente e teve tempo para se desprender da amiga maltesa inseparável, sua bicicleta (acabou comprando uma mais adequada para o percurso, a Mela 2).

Mela 2

E por que a França? Por ser o país mais bike friendly da Europa, por possuir rotas bem sinalizadas e por ser um lugar que ainda não conhecia. A seu favor, o tempo; podia pedalar tranquilamente sem se preocupar com a data final. Quer sensação de liberdade igual!

Foram 18 dias desde Nantes até Never, pedalando em média 55 km/dia, sozinha e com pertences que cabiam em dois pequenos sacos vermelhos, mas com muitos encontros pelo caminho e também um turbilhão de reflexões. Claro que desafios foram enfrentados: a barreira do idioma (Dê não fala francês), encontrar restaurantes ou bares abertos ao chegar as pequenas cidades, google maps enganador (sempre diminuindo as distancias rs), mas também encontrou uma amiga que morava por aí, e teve a companhia do namorado por alguns dias para apreciar juntos os lindos castelos franceses.

Dê e sua Mela em algum castelo francês…

Essa viagem, além da paixão por bicicleta, também foi um marco de mudanças. Essa valente mulher deixou Malta e resolveu seguir o seu amor por terras londrinas. Nada mais perfeito que um momento consigo mesmo para esse ritual de fechar e abrir ciclos.

Ela não vai parar. Já tem pelo menos três rotas rodando sua cabeça, pois os desafios estão aí para serem enfrentados, o mundo para ser explorado e a liberdade para ser abraçada.

E hoje, como você responderia a sua própria pergunta Denise: “O que você faria se não tivesse medo?

Obrigada por ceder a sua história e nos inspirar. E principalmente por passar com muito sentido pelo meu caminho.

Essa é a Dê (Denise Giusti) curtindo a sua liberdade…

*****

  • as imagens foram cedidas e autorizadas pela protagonista da história – Denise Giusti

 

 


Spread the love

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *