Um lugar chamado Craiova

Spread the love

Em mais uma busca pelas passagens aéreas lowcoast, encontrei uma super promoção para uma cidade chamada Craiova. Mas onde fica isso? Exato, essa foi a minha pergunta, porém o preço era tão interessante e minha vontade por explorar locais pouco conhecido é tamanha, que não demorou muitas vistas de fotos na internet para dizer sim a Craiova (não confundir com Cracóvia na Polônia).

Craiova é uma cidade ortodoxa ao sul da Romênia com cerca de 300 mil habitantes, e apesar de um terremoto em 1790, uma praga em 1795 e um assalto turco em 1802, durante o qual foi queimada, conseguiu prosperar.

Romênia é um país localizado no centro sudeste da Europa e pouco explorado, principalmente pelos latinos. Longe do convencional circuito turístico europeu, o país tem muitos encantos e, desde a década de 2000, está em crescimento econômico baseado principalmente em serviços e exportação de máquinas e energia elétrica.

Se o país é pouco conhecido, alcançado apenas pela capital Bucareste, o que dizer de Craiova!  Enfim, havia história, cultura, parques e museus a serem vistos e principalmente, um déficit de moeda pois, apesar de pertencer a União Européia desde 2007, o dinheiro local permanece sendo o Leu Romeno (1 euro = 4,53 ron).

Como fomos em meados de fevereiro, era inverno e o clima estava frio, ainda mais para quem vive em Valência onde a temperatura média não passa dos 17 graus.  Para a acomodação alugamos uma pequena pousada que mais parecia a casa de um amigo, de tão aconchegante e hospitaleira.  Havia apenas 4 quartos em um edifício construído ao lado da residência e do comércio dos proprietários.

Chegamos à Craiova às 10 da noite em um aeroporto minúsculo onde o único transbordo até o centro era táxi (e poucos), além disso ninguém falava inglês ou outra língua que não o romeno. Por sorte, após 20 minutos de espera, encontramos um taxista que conseguia se comunicar com a gente e, a primeira coisa que nos contou sobre a cidade foi que Craiova era controlada pela máfia. Haha…que emocionante!

Na mesma noite, após nos acomodarmos com a proprietária que dialogava conosco através do google tradutor, fomos jantar em um dos inúmeros restaurantes da cidade. É incrível a decoração de luxo dos restaurantes locais além, é claro, da boa comida, isso sem falar no preço.

No dia seguinte, apesar do frio congelante, levantamos bem cedinho para aproveitar a cidade, enfim seriam apenas 2 dias completos em Craiova. Estávamos a 13 minutos do centro da cidade e caminhar por lá é relativamente tranquilo pois é relativamente pequena e as atrações bem próximas.

Começamos pela Praça da Prefeitura e sua fonte (que não estava funcionando), uma belíssima construção de 1916. Seguimos pela Igreja ortodoxa da Trindade, na mesma grande praça, um local pequeno, bem diferente das igrejas católicas cristãs, mas super acolhedor. Aliás, em todas as igrejas que visitamos, sempre havia fiéis rezando em frente as imagens de seus patronos, isto porque trata-se de um país bastante fiel a sua religião.

Igreja de São Demetrius – arquivo pessoal

Continuamos com nosso tour pelas atrações concentradas próximas ao centro da cidade: Teatro Nacional, Colégio Nacional, Universidade de Craiova, English Park, Igreja de Madona Dudu, onde há um ícone da Virgem em frente a porta, com flores e algumas oferendas e dizem que quem reza em frente a esta, receberá um milagre; Igreja de São Elias, Catedral de São Demetrius, com uma porta dourada fascinante e por fim, o Museu de Arte de Craiova, localizado no magnífico Palácio Dinu Mihail construído nos princípios do século XX. O Museu comporta uma pequena, mas importante coleção de esculturas de Constantin Brancusi e quadros de Theodor Pallady, porém o que impressiona mesmo é a tamanha exuberância arquitetônica e sua decoração interior.

Museu de Artes de Craiova – arquivo pessoal

Neste primeiro dia, fizemos uma pequena refeição na La Creperie, com crepes saborosos e ambiente tranquilo, porém, como a maioria de atrações e restaurantes de Craiova, o staff não fala outro idioma além de romeno. Para jantar,  nos surpreendemos com o restaurante Epoca Steak House & Wine, localizado em um casarão com um grande espaço externo,  não apenas pelo sabor dos pratos, mas também pelo clima intimista, pelo atendimento (com equipe falando inglês) e pela carta de vinho. Excelente custo-benefício! Aliás a melhor coisa a fazer em Craiova é provar os restaurantes: localizados em casarões de época, bem decorados e com pratos de requinte a um valor super atrativo. Para finalizar a noite, um último drink no Soho Bar, onde os moradores mais descolados se encontram.

O dia seguinte reservamos para visitar o Museu Olteniei, dedicado a arqueologia, apresenta de uma forma visual e gráfica toda a história Romena, vale muito a pena, mesmo pecando por não dispor de sinalizações em inglês ou outra língua. Depois seguimos para o terceiro maior parque da Europa, o Parque Nicolae Romanescu, um oásis de verde, projetado pelo arquiteto francês Emile Rendont, premiado com medalha de ouro na Feira Mundial de 1900. O parque abriga um lago de 20 acres, um zoológico, uma galeria de arte, um velódromo para concertos e um hipódromo (inutilizado desde 2000). Como estávamos no final do inverno, foi possível apreciar o lago congelado e as árvores desfolhadas, dando espaço as gotas de orvalho. Realmente, para mim, o lugar mais encantador de Craiova.

Parque Nicolae Romanescu – arquivo pessoal

E essa foi nossa curta passagem por um lugar chamado Craiova. De encantos históricos e arquitetônicos, de mitos velados e suspeitos, mas de um potencial gastronômico incrível, ademais pelo baixo custo. Uma boa descoberta!


Spread the love

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *